Dia Mundial do Diabetes 2017

Novembro está chegando e as atenções novamente entram na disputa do mês azul. Nós, como sempre, estamos com o diabetes e olha que isso já tem é tempo.

Desde 2002, quando iniciamos o trabalho de divulgação – na época ainda para a Sociedade Brasileira de Diabetes – fizemos um pouco de tudo.

Já teve CD sendo enviado pelo correio, atividades no Maracanã, folhetos, hotsite e tudo mais que fosse possível para que a data ganhasse espaço.

Agora em uma mídia independente continuamos o projeto, tanto aqui no Blog do Dia Mundial quando na nossa Revista Digital EmDiabetes – www.emdiabetes.com.br

Esse ano, vamos nos concentrar em divulgar tudo o que for possível sobre a data e até já avisamos que estaremos, mais uma vez, em Aracaju. Lá acontece uma das maiores manifestações de rua em prol do diabetes. Um projeto incrível do Dr. Raimundo Sotero.

Acompanhe aqui e na nossa Revista informes que podem ser úteis.

Estamos de olho também nas ações da International Diabetes Federation que comanda as atividades. Aproveitem para incluir suas atividades na programação oficial neste link – https://www.idf.org/wdd-events/

mapa dos eventos da idf

Diabetes na Câmara dos Deputados em Brasília

Seminário discute sobre – “Instituir a Política Nacional de Prevenção do Diabetes”.

Veja aqui o seminário completo, transmitido ao vivo pela TV Câmara. Sheila Vasconcelos, do nosso grupo, esteve em Brasília e também falou na hora que o debate abriu aos participantes.

Dra. Hermelinda Pedrosa, presidente eleita da SBD;  Dra. Karla Mello, da diretoria da SBD; e Dr. João Modesto falaram em nome das sociedades científicas.

Vanessa Pirollo, uma das responsáveis pela promoção do debate, falou em nome das associações e como paciente.

Depois de retornar de Brasília, Sheila vai detalhar outros pontos abordados e suas observações quanto aos resultados.

A seguir a íntegra.

Da evolução das insulinas

“Insulina é uma das grandes dádivas que a medicina ofereceu à humanidade.”

Foi com esta fala que o Dr. Zagury Leão abriu a palestra sobre Insulinas Comerciais que ministrou no encontro científico realizado pela Academia de Medicina do Rio de Janeiro, no dia 30 de maio.

Desde a descoberta da insulina, em 1921, por Banting e Best – sem esquecer da cadela Marjorie, muita coisa aconteceu.

BantingBest

Entre as primeiras insulinas, que eram extraídas de animais, e o que temos atualmente, os tratamentos evoluíram. De curta para longuíssima ação; da NPH, que é uma insulina em suspensão e, por isso, requer atenção do usuário, aos análogos, que permitem  “encurtar o início de ação e a duração (pré-prandial)” ou “aumentar o tempo de ação e abolir picos (basal)”.

Os análogos acabam trazendo, assim, maior estabilidade e melhor controle glicêmico. O resultado dessa interferência é percebido através dos exames de hemoglobina glicada (A1C), ou, como citado pelo Dr. Leão, o “padrão ouro para o controle do diabetes”. Consequentemente, os riscos de complicações (retinopatia, neuropatia, neuropatia, etc.) são reduzidos.

Mas, apesar de todas estas mudanças, ainda existe, hoje, uma situação que pode ser de complexidade para quem convive com o diabetes. Além de coordenar alimentação, hábitos saudáveis, conhecimento sobre a condição, é preciso ficar atento aos diferentes tipos de caneta de insulina e agulhas existentes. Cada uma tem um modelo específico, o tamanho das agulhas variam…

Da mesma forma como antes já se brigou pela padronização da dosagem em 100 Ui (houve um tempo em que cada frasco oferecia uma dosagem distinta: 20 Ui, 40 Ui, 80 Ui; cada uma exigindo uma seringa também distinta, o que gerava confusão e levava, em casos mais graves, à hipoglicemias e comas), pretende-se buscar agora a padronização de um só modelo de caneta e frascos refis.

Que a evolução siga para o bem e trazendo mais conforto e saúde a quem precisa dessas doses diárias de sobrevivência.

 

 

 

Revista Em Diabetes

Entramos no ar! Calma, a gente explica.

Depois de vários encontros e troca de ideias, nosso grupo resolveu partir para um projeto paralelo ao Blog do Dia Mundial do Diabetes.

Analisamos nossos sonhos e a partir de uma sugestão do Dr. Leão Zagury, endocrinologista, resolvemos partir para um projeto de uma revista digital. Na verdade, não só uma revista, mas um canal de comunicação que pudesse falar sobre diabetes de um jeito diferente.

Mas como seria isso?

Porque a publicação é feita por um grupo formado por pacientes, jornalistas e médico. Uma junção rara e que já está dando frutos.

Lançamos neste domingo – 14 de maio – a Revista Online Em Diabetes, que vem junto com uma fanpage, canal no Youtube, twitter, instagram e o site só para a publicação.

O site será atualizado em breve, mas vocês já podem ler a publicação que está online em

Blog Matériahttp://emdiabetes.com.br/